terça-feira, 3 de junho de 2008

Sou um guardador de rebanhos

Sou um guardador de rebanhos.
O rebanho é os meus pensamentos
E os meus pensamentos são todos sensações.
Penso com os olhos e com os ouvidos
E com as mãos e os pés
E com o nariz e a boca.
Pensar numa flor é vê-la e cheirá-la
E comer um fruto é saber-lhe o sentido.
Por isso quando num dia de calor
Me sinto triste de gozá-lo tanto,
E me deito ao comprido na erva,
E fecho os olhos quentes,
Sinto todo o meu corpo deitado na realidade,
Sei da verdade e sou feliz.

Alberto Caeiro

2 comentários:

espaço história & arte disse...

olá Ana!

tenho-me maravilhado c os textos e imagens q tem publicado, é evidente q está inspirada... obrigado pelo bocadinho q transborda, e q chega até aqui, às profundezas do norte!!

beij

Um Momento disse...

E com esta partilha relembrei tão belo texto!
Muito Obrigada!

(*)