sábado, 20 de setembro de 2008

Pensar positivamente, estou a acreditar

Sou mesmo uma tartaruga que atravessa o oceano sem parar, não tenho dúvida, necessito é de todos os dias impor a mim própria pensamentos positivos, ver beleza nas coisas simples e sobretudo saber perdoar tudo aquilo que me magoou ao longo da vida.
Só hoje, após três meses de aposentada é que tenho consciência do enorme sofrimento que foi há cinco anos e meio, mudar de uma cidade onde estava há mais de vinte anos para outra cidade, de um serviço que criei, para outro novo onde ninguém me conhecia, deixar uma casa que tinha acabado de comprar, para outra casa, acumulando duas rendas e tudo aos 58 anos de idade.
E porquê? Para serem outros a substituirem-me no posto que eu ocupava.
No novo emprego, sabendo dos cargos que tinha anteriormente, a dúvida instalou-se, será que ela queria o lugar dos outros, um lugar de chefia?
Depois comecei a observar o percurso dos meus amigos, cada um a mostrar o seu verdadeiro eu, a fazer aquilo que na realidade queriam fazer - protagonismo e sobrevivência. O trabalho de equipa foi esquecido, os novos políticos deram-lhes postos de chefia e oportunidades de projectos novos e eu sobrevivi, empenhada num sentido de serviço público e terminei a missão com uma grande investigação, um trabalho de campo, um livro publicado de 200 páginas, um catálogo e um livro infantil.
Os meus amigos sabiam o meu percurso de vida e o meu sofrimento, mas congratularem-se com o meu livro, aparecendo na apresentação do mesmo ou apresentá-lo noutras paragens, isso não aconteceu.
É desta mágoa que finalmente estou a libertar-me pois levo muito tempo a fazer o luto, e tive tantos lutos para fazer. Hoje decidi que quero pensamentos positivos e saber perdoar os outros e a mim mesmo pelos erros cometidos.
Tenho projectos de investigação em marcha, com futura publicação de dois livros, a inauguração de uma exposição e a implementação de dois serviços educativos, além de ter voltado aos trabalhos artísticos e artesanais, assim como à meditação e procurarei mais tarde o yoga.
Os meus netos e os meus filhos são um grande objectivo da minha vida, digo netos porque vou ter um novo neto em Março, de um dos meus filhos e da minha nora, vai-se chamar António Maria e será um grande companheiro da Francisca.
Meditar, comer saudavelmente, fazer longos passeios, olhar o mundo com alegria e esperança, ir espreitar o mar todos os dias, já que vivo a dois minutos dele, encher o peito de ar, ver beleza nas coisas pequenas e essencialmente saber perdoar e não ter sentimentos negativos no coração, isto não quer dizer que eu queira voltar atrás, não, uma coisa é perdoar, outra é cortar com o mal que tanto sofrimento me causou afastando-me. Vendi a minha casa na antiga cidade e só tenciono ir a esse lugar esporadicamente, para situações muito concretas.
Aguarda-me aquilo que não custa dinheiro, o afecto pelos meus, o sol, a chuva, o mar, a natureza, a meditação, olhar a beleza e senti-la dentro de mim e tranmiti-la aos meus entes mais novos, a já existente e os que estão para vir. Adquirir sabedoria e saber viver com pouco. Li num artigo de jornal que há pessoas que são capazes de viver com 100 objectos, admirei-as, eu que tenho a casa tão cheia, mas agora vou começar a esvaziá-la de tudo o que é inútil para mim e faz falta a outras pessoas-
A vida deve ser renovada constantemente para melhorar a nossa existência, tal como as empresas fazem as análises swot: detectar pontos fortes, pontos fracos, ameaças e opotrunidades e depois transformar os pontos fracos em fortes e as ameaças em oportunidades.
Transformar pontos negativos em positivos - um objectivo prioritário.
"Nós conhecemos o mundo exterior de sensações e acções mas, do nosso mundo interior de pensamentos e sentimentos, nós conhecemos muito pouco. O objectivo primário da meditação é que nos tornemos conscientes e que nos familiarizemos com a nossa vida interior. O objectivo final é alcançar a fonte da vida e da consciência."

1 comentário:

docedemaçã disse...

É isso mesmo Anad: depurar o azedume, excomungar a raiva e abrir os braços a nós mesmas e ao futuro.
Positivamente Anad!
Beijos carinhosos
Dri