quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

5º dia e Partida para Lisboa















































































O 5º dia foi passado no Grand Palais e na livraria do Louvre. O Grand Palais foi construído no final do século XIX, para albergar a Grande Exposição de Paris em 1900. Em 1900 houve em Paris uma exposição mundial e Portugal também esteve representado. Situado nos Champs Elysees, a famosa avenida de Paris que vai dar ao arco do triunfo e em estrela se desdobra numa série de ruas das mais importantes da capital. É lindo ver este pormenor arquitectónico do cimo da Arco do Triunfo, até prefiro mais do que da Torre Eiffel, mas da torre da Defense a vista também é muito boa, mas desta vez não fomos a esses sítios. Fomos sim ver uma exposição sobre A Turquia e Instambul, uma linda exposição com lindos objectos, maravilhosas colecções que estavam expostas em Paris, do melhor, mas a museografia do rés-do-chão era péssima, com paredes forradas de papel a imitar pedra que fazia imenso ruído com os objectos, no 1º andar, bastou que se mudasse a cor de todo o pavimento e paredes com tecido vermelho Pequim, para fazer toda a diferença. A multimédia era espectacular. Em seguida fomos de novo comer ao Louvre desta vez comida francesa e depois fomos para a livraria do Louvre e foi uma overdose de compras, mas os livros que compramos são sempre para trabalho e este dinheiro gasto vai gerar outro dinheiro. À tarde, Sacre-Coeur e Montmartre, um sítio alto, que outrora os gauleses dedicavam ao culto de Dionisios, chovia a cântaros mas estava apinhado de gente, custou-me imenso subir aquelas lombas, só depois nos lembrámos do fenicular, mas foi bom, muito bom.
À meia noite comemorámos em casa da nossa amiga com jantar simpático e brindámos a meia noite com sidra, na varanda que dava para a torre de eiffel que este ano não deitou fogo de artifício espectacular, mas sim estava toda coberta de luzes a tremer, assim como os champs Elysees cujas árvores da avenida estavam cobertas de luzes e dos dois lados da rua, tendas brancas, todas iguais, vendiam petiscos, artesanato e souvenirs. Era um mar de gente.
No dia seguinte aproveitámos os bilhetes gratuitos dos transportes até ao meio-dia do dia 1 e partimos para o aeroporto sossegadamente, quando todos estavam a dormir, o trânsito era pouco naquela primeira manhã de 2010 em Paris. Visitámos Paris 5 dias, e utilizámos dois dias para viagem, foram sete dias fora de Portugal e de todas as repetições de notícias que já cansam. À noite em casa ainda ouvi o Cavaco, com aquele tom de voz irritante e o nariz afilado. Tinha voltado à terrinha, que diga-se de passagem sabe sempre bem, tirando algumas particularidades. Como cheguei a uma sexta-feira ainda tive tempo para ir dar um beijo aos meus netos, no sábado e domingo e dar-lhes as prendinhas da Baby Gap, uns livrinhos e um abecedário para a Francisca se familiarizar com as letras.
E assim se passou mais um ano. Um Ano de 2010 cheio de esperança para os amigos e amigas online e aquele abraço.

4 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Também andei pelo Grand Palais, mas ao Louvre, só passei, tal era amultidão!

Multiolhares disse...

Pelo que vejo foram umas férias e passagem de ano muito agradáveis, bom regresso a casa
beijinhos

gaivota disse...

hummmmmmmmmmm, chegou ao fim... férias em paris! é muito bom 'arejar' assim, de vez em quando!
e já percebi que a seguir é o méxico! que bom, tanto calor que está por lá... há uns anos passámos o natal e fim de ano em acapulco, foi uma maravilha, 37º logo pelas 7h da manhã...
beijinhos

tulipa disse...

ADOREI a descrição de como passou os dias em Paris.
Eu não tive tanta sorte, pois fui acompanhada de uma amiga que, por acaso, não liga nada à arte, nem aos museus e eu só levava na ideia conseguir convencê-la a ir comigo ao Museu D'Orsay e, nem sequer isso consegui...enfim...

Consegui ir ao Sacre-Coeur e ADOREI...mas, já não consegui visitar a praça em Montmartre, com os pintores...é assim, se vou sozinha faço tudo o que quero, se vou acompanhada fico mais condicionada.
Ah...
mas fui de funicular, foi bom, muito bom.

A iluminação dos Champs Elysees só foi ligada uma semana depois de eu ter vindo embora, mas vi as lâmpadas nas árvores da avenida.

Também vi dos dois lados da avenida, tendas brancas, todas iguais. Logo imaginei que seria para vender petiscos, artesanato e souvenirs.
Beijinhos.