domingo, 4 de maio de 2008

Se eu pudesse...


Se eu pudesse dizer-te aqui e agora

O que para mim é importante nesta etapa do meu viver

Eu dir-te-ia que era parar e fazer um balanço

Como as empresas que no fim do ano civil

Inventariam os bens que têm em armazém


Faria um levantamento exaustivo dos sonhos que ainda não realizei

Das viagens que me faltam fazer

Dos oceanos escrevinhados de azul que ainda não percorri

Uns tantos que eu não ajudei

Os amores que não vivi

As recordações boas que eu não guardei

A vida por reinventar


Faria uma maquilhagem ao meu coração

Aos meus olhos e aos meus lábios

Para apagar o que não interessa

E sobressair com as cores do arco iris

Aquilo que me faz sentir viva


Não quero sentir dentro de mim o amargo das malaguetas

Sem água para saciar

Quero sentir o veludo dos momentos luminosos

E sentir paz e vontade de olhar o mundo com outros olhos

Apesar daquilo que vejo seja um cinzento metálico

cintilante e duro


Quero encontar amigos on-line que me entendam

Aos quais eu possa dizer: olá, então por cá?



5 comentários:

Leonor disse...

ola ana maria
considere-me sua amiga on line.costumo ser tao sincera na realidade como na virtualidade pois considero uma complemento da outra.
sou sempre eu.
acerca do que escreveu: poderiamos ser eternos que o tempo nunca chegaria para realizar tudo o que nos vai aparecendo.
ana maria, gosto dos seus comentarios. sao mornos como raios de sol na primvara.
beijinhos

via disse...

os balanços são terríveis, nós não somos armazéns, devíamos fugir aos balanços mas é irresistível.

isabel victor disse...

"o veludo dos momentos luminosos"

Lindíssimos, a afagar os dias ...


Bom dia, Ana


iv*

Ana Camarra disse...

Pois estou...
É só mandar um SOS.
E olhe que por vezes sou eu que preciso de socorro.

Beijos

Ana Paula disse...

Bonito poema cheio de autenticidade!

Beijinhos de uma amiga on-line! :)