quinta-feira, 10 de julho de 2008

Museólogos de caracácá.



Do porto de Hamburgo saíram no século XIX e no século XX, mais de cinco milhões de habitantes. O museu de Ballinstadt aberto
na cidade em Julho de 2007 fala dessa saída em força à procura de melhores condições de vida.
Cá em Portugal também se está a programar um museu da emigração portuguesa, por um museólogo que é tão invejado por aqueles que nunca fizeram museus ou nunca realizaram exposições que interessassem os públicos em massa, apesar de estarem uns sempre a abrir a boca pela museologia social e outros pelas exposições das obras primas (só para a elite) e a escreverem artigos de caracácá. Esses são os museólogos de caracácá.
Hoje em todo o mundo o grande cobertor da museologia social abarca projectos consistentes e muito sérios e outros de caracácá. Os de caracácá são aqueles que se confundem com animação socio-cultural. Estudar as colecções, fazer estudos e publicar livros, colocando esse saber museológico nas mãos da comunidade, dá muito trabalho. O que dá pouco trabalho e muita visibilidade é andar de país em país, sempre os mesmos a mostrar quinhentas e cinquenta e cinco milhões de vezes as mesmas teses bacocas e os seus pequeninos projectos de animação cultural museológica de caracácá.

6 comentários:

espaço história & arte disse...

Viva!! caramba está inspirada!! :)

infelizmente tenho tb a mesma opinião... mas há q manter a fé, porque existe também muita vontade em muita gente...

beij

Ana Camarra disse...

Não estou muito dentro do assunto mas o os de carácácá é que demais por aí há.
Porque é que havia de ser diferente nos Museus é a cultura Nacional, muito implemmentada em todas as frentes.

beijos

Nilson Barcelli disse...

De caracacá não há só museólogos.
Porque a mediocridade há muito que se instalou em Portugal, à custa do afastamento de pessoas competentes que existem nos vários domínios da arte, da política, etc.
Há excepções, claro.

Na Alemanha a competência é muitíssimo mais apoiada.

Beijinhos.

chapa disse...

Do ponto de vista da museologia, não sei se é ou não de caracácá. Não o conheço fisicamente, nem sou um "expert" em matéria museológica.
Na perspectiva do estudioso de Relações Interculturais, parece-me ter conteúdos interessantes.

chapa disse...

Esqueci-me de deixar o "link" a que me referia:
http://www.museu-emigrantes.org/

O Lápis disse...

Pois não sei.



Mas tenho esperança que o "panorama caracácá" vá mudando com o tempo.