sábado, 2 de agosto de 2008

O nosso país

O nosso país é feito de assimetrias que nos envergonham. Não há igualdade de oportunidades como está patente na constituição. Eu sou uma mulher que sempre me revoltei com a impotência na resolução de problemas. Tudo isto vem a propósito do evento que anunciei Startracking, a exibição de talentos notáveis na nossa sociedade. Tudo isto é de louvar, mas aquilo que me interrogo é o seguinte:


  • qual é a verdadeira igualdade de oportunidades que existe no nosso país? Há um verdadeiro despiste de talentos nas escolas, sejam eles quais forem e são devidamente acompanhados, porque o problema não está em dar oportunidades gratuitas de frequentar a formação necessária ao desenvolvimento da sua aptidão, a questão põe-se que apoio se dá às famílias dessa criança ou jovem que têm mais filhos e dificuldades económicas que inviabilizam o transporte, uma boa alimentação etc.


  • essa igualdade de oportunidades só a vejo no futebol, aí há interesse. As crianças até saiem das suas terras e ficam internos nos clubes. Vejam o caso do Cristiano Ronaldo que veio aos 13 anos da Madeira para o Sporting. É FUTEBOL.


  • e por exemplo se uma criança pobre demonstrasse grande talento para a música, piano, por exemplo, o mesmo acontecia. Compravam-lhe um piano para ensaiar em casa? Pagavam a sua formação?


  • eu tenho um filho 1º bailarino que esteve numa escola fabulosa onde os directores lutavam para que as crianças desfavorecidas com talento, pudessem ser grandes bailarinos e muitos ficaram pelo caminho, porque as escolas oficiais não têm o devido acompanhamento social que as famílias com esses filhos deviam ter.


  • quantos sobredotados de famílias carenciadas são ostracizados nas escolas porque não são compreendidos e podiam ser engenheiros, médicos ou artistas.

Um pobre quando é pobre acaba por ser pobre em tudo.

2 comentários:

AEF disse...

Viva!
Vale mesmo a pena ver o video que coloquei no Sociedade Aberta sobre Educação.

embalando as horas disse...

Olá Ana,o seu post toca num ponto importante relativamente ao investimento público nas crianças, dotadas ou sobredotadas,mas com carências económicas.
Tem razão,só por alto,quantos milhares de potenciais génios de ambos os sexos,foram podados à nascença porque...não foram cultivados?
Nunca saberemos mas,desconfiamos...
Inté,Dri