segunda-feira, 12 de abril de 2010

Acordar com Carlos Drummond de Andrade


No meio do caminho tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
tinha uma pedra
no meio do caminho tinha uma pedra


Nunca me esquecerei desse acontecimento
na vida das minhas retinas, tão fatigadas,
Nunca me esquecerei que no meio do caminho
tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
no meio do caminho tinha uma pedra.

Carlos Drummond de Andrade

1 comentário:

Multiolhares disse...

Talvez se nos lembrasse-mos tantos tombos evitaríamos
beijinhos