sexta-feira, 18 de abril de 2008

Eu sou sexagenária

Eu sou sexagenária e ninguém me faz parar/se eu não andar bem, uma bengala vou pegar/mas ficar em casa não é para mim não/se tenho um sonho e depois uma desilusão/pego logo em mim e faço a reconversão/de tristezas e danos está o mundo repleto/mas protestar sempre é o meu hobbie predilecto/eu sou muito eclética, eléctrica, energética e nunca desisto/gosto do Che, de Marx e de Jesus Cristo/gosto dos bros e dos mano a valer/mas gosto muito dos meus filhos que são razão do meu viver/gosto do mar e de uma boa estratégia/só não passeio no pinhal, porque tenho rinite alérgica/vou ao ginásio fazer pilates e Yoga/sou sexagenária mas ando em tudo que está em voga/gosto de chá, de filmes, de livros e do mais que há/tenho sonhos capitalistas de viver como um marajá/mas nesse sonho vem sempre ao de cima o mano Che/que sem nenhum pudor dá na cabeça do dominador/esta dualidade é a que eu sou/percebes bro/é uma grande confusão/gosto de boa vida e de uma boa revolução/ao menos sou sincera, digo tudo de mim/uma sexagenária tem o direito de ser assim/o velhote que etá aqui ao meu lado/está também a ficar muito reanimado e ginasticado/não quer outra coisa senão a passadeira/oh meu deus que caturreira/vivam os sexagenários/viva a minha geração/ se não tivessemos sido hippies não havia revolução com til/o vinte e cinco de Abril/adeus camarada, adeus meus irmãos/gosto de me sentir com hoje estou/cácáô

10 comentários:

ângela marques disse...

parabéns!:)

isabel victor disse...

Que maravilha ! :))

Sabia.mente ...



te.beijo*



iv

Rato do Campo disse...

Que privilégio, ter sabido deste blogue. Bem haja! Deixo-lhe um beijinho.

via disse...

é verdade,á energia nada tem a ver com a idade física, acredita na renovação, eu também.

Sérgio Luyz Rocha disse...

Talvez preferisse sê-lo, digo, sexagenário...teria vivido as turras com o regime autoritário que abocanhou minha vida aos três anos e só soltou quando já lá se iam quase 24...também teria vivenciado na carne todas as revoluções culturais, todas as grandes transformações artísticas...e não só ouvido falar ou sequer reparar já que tão criança e depois resgatar e viver meio órfão...mas que falta de tato...perdoe-me, fico aqui a falar de uma eventual experiência, mas veja só, seu relato ´o responsável...muito inspirador porque sincero e muito bem escrito...ainda me faltam alguns anos para os 60 (tenho ainda 46), mas desde já compreendo, cmo no dizer de Mário Prata, que tua geração desinventou a velhice...
Muito prazer...
Grande abraço brasileiro!!

Um Momento disse...

E essa alegria é contagiante , em palavras tão lindas me vi eu envolvida
Mas que beleza esta vida!!!!

Beijinho MUITO GRANDE e que continues sempre com esse espirito tão jovem
ADOREI MESMO!!!!!!!!!!

:)))))))))))))

Bom fim de semana vos desejo!

(*)

By myself disse...

Genial...espectacular...uma lição de vida. Faz-me sentir os meus quase 47 como se fossem 20.

Parabéns pela enorme alegria de viver.

Beijinhos

despertando disse...

Os meus sinceros parabéns, é isso mesmo amiga, a nossa idade esta na nossa cabecinha.
Vive cada momemnto intensamente
Um abraço

Nilson Barcelli disse...

A velhice está mais na mente que no corpo.
E tu, com estas palavras cheias de força, revelas uma juventude a toda a prova.
Gostei da tua postura perante a vida. Continua.

Bfs, beijinhos.

gaivota disse...

minha querida amiga e vizinha!é uma sabedoria profunda todo este texto,parabéns!
vou a caminho dessa escala de vida, os 60...
sinto-me um pouco assim, nessa conversa...
beijinhos